CRO-PE representa a Odontologia em reunião da Comissão do Coronavírus na Câmara de Vereadores do Recife

Data publicação: 27/05/2021

Responsive image

O presidente do Conselho Regional de Odontologia de Pernambuco (CRO-PE), Eduardo Vasconcelos, esteve presente na manhã desta quinta-feira (27/05), em reunião promovida pela Comissão Especial Interpartidária de Acompanhamento ao Coronavírus da Câmara Municipal do Recife.

Representando a categoria ele defendeu o retorno dos Cirurgiões-Dentistas às atividades eletivas das unidades de saúde, frisando a importância de seguir as normas e orientações estabelecidas pelos diversos órgãos e instituições garantindo a segurança dos profissionais e população, bem como a convocação de concursados para ocuparem cargos que estão vagos no Recife, visando o reforço dos serviços de atenção básica. Esta foi a 11ª reunião da Comissão de Acompanhamento ao Coronavírus e, desta vez, escutou representantes da Odontologia e Educação Física.

A comissão tem ouvido as dificuldades enfrentadas pelas categorias durante a pandemia para o desenvolvimento das suas respectivas atividades. Os vereadores registram os anseios, anexam reivindicações aos documentos que são produzidos, e buscam encaminhamentos com soluções práticas junto à Prefeitura do Recife e ao Ministério Público. A reunião foi conduzida pelo vereador Tadeu Calheiros (Podemos), e contou com a presença dos vereadores Helio Guabiraba (PSB), Marco Aurélio Filho (PRTB), Eriberto Rafael (PP), Ana Lúcia (Republicanos) e Ivan Morais (PSol).

De acordo com Vasconcelos, é necessário que o profissional de Odontologia da rede pública os atendimentos eletivos, desde que tenha a segurança sanitária necessária para exercer suas atividades. “O atendimento ambulatorial eletivo de odontologia nas unidades de saúde municipais do Recife está paralisado desde março de 2020 devido à pandemia. A população desassistida tem buscado atendimento de outras formas devido ao não acesso aos serviços na rede pública. Há indícios que o número de perdas dentárias está aumentando. Sem poder pagar o tratamento de canal ou obturações, na rede privada, está se recorrendo às extrações. Por isso, corremos o risco de termos num futuro próximo uma grande quantidade de desdentados”, alertou.

O presidente ainda falou da importância da implementação no município do serviço de atenção odontológica hospitalar, para acompanhamento especializado, visando prevenção de infecções hospitalares pela boca em caso de necessidade de internação.

O Recife tem apenas 38% de cobertura em saúde bucal o que representa que apenas dois terços das equipes da família contam com esses profissionais. Existe ainda um grande déficit de profissionais especializados nos Centros de Especialidades Odontológicas (CEOS) do município, especialmente nas especialidades de odontologia para pacientes especiais e endodontia.

Confira a reunião completa
clicando aqui




© 2022 cro-pe.org.br Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por